Vendas Outubro 2012 e Alterações da Lista de Agências Recomendadas

Apesar do pouco tempo disponível, finalmente consegui finalizar o ficheiro que me permite apresentar os resultados das vendas de todas as agências que trabalho de momento. Da mesma forma, tive, pela primeira vez, uma visão global do desempenho das mesmas desde 2010, que me permite “ajustar” a minha lista “privada” de agências recomendadas.

A grande novidade de Outubro foi o registo em novas agências:

– PhotoSpin, GL Stock, Photodune, Featurepics e PocketStock.

( Mais tarde irei escrever sobre estas novas agências )

Em relação às vendas de Outubro:

oct2012

Em destaque por boas razões:

– Melhor mês de sempre na ShutterStock, excluindo as licenças estendidas ( EL ).  +13% em relação a Outubro de 2011, além de ser uma das poucas agências que mostra crescimento e “estabilidade” anual.

PhotoSpin: Apesar do polémico tipo de subscrição, onde podemos receber tão pouco quanto 0,03 € por imagem, facto é que logo no 1º mês fez mais que a Dreamstime e IStockPhoto juntas. E ainda vamos no dia 5 de Novembro e já fez 3 vezes mais do que em Outubro.

123RF: Apesar de uma quebra de 9 de % em relação a Outubro de 2011, tem apresentado uma evolução positiva ( de 2011 para  2012 )

Em Destaque pelas piores razões:

IStockPhoto: Infelizmente não “descola”. Tudo bem que apenas tenho 349 ficheiros online, mas persiste a tendência a recusar ficheiros que, em outras agências, se vendem como “tremoços”. Agora também é verdade que sempre conseguia algum rendimento com as parcerias, mesmo com as inúmeras falhas na sincronização de ficheiros.  Apesar de ter pedido que colocassem TODOS os ficheiros nas parcerias, conseguiram fazer exatamente o oposto: São cada vez menos os ficheiros disponíveis….

Fotolia: Outro “flop”. Começou bem no inicio do ano, e depois voltou a estagnar. Fiquei feliz por ter subido de nível, mas as vendas parecem menores. As vendas recaem sobre as mesmas imagens, e bem podia ter lá apenas metade que as vendas seriam iguais. Mas aqui dou o beneficio da duvida, porque facto é que, a Fotolia é uma agência que vende mais “coisas em fundos brancos isolados”.

Dreamstime: Ao não aceitar “séries de imagens”, digo “várias imagens” do mesmo motivo, perdem em numero de downloads. Digo isto, porque no caso da Shutterstock, se eu tiver uma série de 8 imagens do mesmo motivo, o cliente leva todas! Na Dreamstime vai uma de cada vez.

Da mesma forma, fazem testes, e avisam depois. Não sou o unico com a mesma queixa: que o motor de busca já não é o que era. Queixa partilhada desde o mais pequeno até ao maior colaborador.

Antevisão Novembro:

Tendo em conta o meu portfólio, a tendência é de haver uma quebra ligeira, se bem que a PhotoSpin caminha a passos largos para compensar essa tendência.

Tenho novos projetos para 2013, mas a avaliar pelos últimos anos, vou descartar algumas agências.

Lista de Agências Recomendadas

Fiz um ajuste na lista das agências com as quais trabalho ( LINK ), pois não posso estar a referir agências, a novos clientes/colaboradores que se estejam a revelar um mau investimento para quem começa.

Assim, coloquei um Top 5 com aquelas que representam um bom investimento a quem começa como colaborador, seja qual o tipo de portfólio que tenham.

Da mesma forma, criei uma secção de “Não recomendadas”, lista que deverá crescer até 2013, com aquelas que nem sequer apresentam qualquer tipo de “atividade”:

– CutCaster: 0 Vendas em 2 anos. 899 ficheiros. O site não demonstra “atividade”. No twitter do site fala-se de tudo menos do tema “Micro Stock”… Fazer o quê? Em conversa com o dono, este pediu-me sugestões para angariar clientes…  ok, achei importante a conversa, mas tipo, somos nós colaboradores que temos que “investir” no marketing da agência? Estávamos “tramados” com outras agências se o marketing dependesse de nós. Acredito que muito em breve esta agência seja “vendida” ou desapareça como outras tantas.

– AllYouCanStock: Bem estranhei que em Dezembro, mais que um colaborador tivesse as mesmas vendas em Dezembro de 2011 ( 3 vendas ). Pareceu-me uma forma de “atrair” mais colaboradores, mas é uma ideia condenada ao fracasso. Marketing… se gastassem dinheiro em marketing seria mais produtivo que andar a comprar meia dúzia de imagens para passar uma falsa imagem de sucesso.

Paulo M. F. Pires

Rally Verde Pino 2012

Era com alguma “ansiedade” que eu esperava por esta prova, pois a mesma iria testar os meus limites ( e talvez os da máquina ) por se tratar de uma prova de 3 dias completos. No final apenas o carro cedeu ( travões )… nada que uns discos/pastilhas novos não resolvessem, e não, não participei na prova. Prova organizada pelo NDML, onde realço a excelente colaboração no acesso aos locais.

Rally Verde Pino 2012Como colaborador da ABTFOTO, fiquei de cobrir no 1º Dia, a prova no kartódromo dos milagres, e de seguida registar a Rampa de Figueiró dos Vinhos. O pior do 1º dia, e apenas no 3º dia melhorou foi mesmo o tempo, pois choveu imenso, com algum vento, e frio à mistura. No kartódromo fiquei na curva que antecede a entrada das boxes, e não fosse a chuva e seria um spot muito interessante para a 24-105L ( a chuva não permitiu muita velocidade durante a prova e só os mais arrojados arriscavam um andamento acima da média ). Nem mesmo quando um dos participantes quase veio ter comigo, fez com que eu mudasse de ideias quanto ao spot escolhido. De qualquer forma, permitiu umas boas fotos, com o carro a encher o frame, que ficaram tanto do meu agrado como da maior parte dos "pilotos”.

Finda a prova no kartódromo, pouco mais fiz que comer “qualquer coisa” pelo caminho, e arrancar para Figueiró dos Vinhos, para chegar antes do 1º participante ( teriam que fazer ainda duas rampas, Porto de Mós e Fátima ). Já na Rampa, fiquei indeciso sobre a utilização  da sigma 120-400 no mesmo spot onde registei o rally de inverno, mas como a lente não é WS, e tudo fazia crer que ia chover, subi um pouco a rampa e fiquei num spot “parecido”, e apenas não contei com um detalhe: era uma saída de uma curva Rally Verde Pino 2012rápida, o que me fez perder alguns registos por não ter a velocidade adequada na maquina ( ou não poderia selecionar mais ). Assim optei por mudar de spot, e registar de frente , já depois da saída dessa curva, de forma a apanhar os carros mais devagar, e registar algumas traseiras ( um tipo de composição que me agrada mais, mas não tem muitos adeptos ).

O 1º Dia terminou com a seleção das melhores fotos por piloto e o envio para a agência. É nestas alturas que dou valor a quem faz reportagens e tem que entregar o trabalho na hora.

No 2º Dia fiquei de registar  uma das provas surpresa, Rampa de Monte Alto – Arganil, e a surpresa começou por um engano nos horários, e lá aproveitei para recuperar umas horas de sono…

Escolhi a ultima curva antes da recta da meta, que permitiu fazer uns registos mais alusivos à paisagem, mas sem granes margens de manobra, pois era um spot escuro, e chovia a potes. Também foi um daqueles raros momentos em que mudei de ideias quanto ao meu posicionamento, e fiquei 2 metros ao lado do ponto inicial, e verificar que o carro nº 4 “aterrou lá”.. Pelo que me apercebi, todos os Porsche 911 Turbo, clássicos perdiam o controle da mesma forma naquela curva.

No fim, foi correr para Pombal, escolher as melhores, e correr para a prova no Kartódromo dos Milagres às 22:00. Efetivamente já não chovia, mas a relva tinha geada, tal como os tejadilhos do carros. Mais uma vez fiquei limitado pelo flash ( sem HSS ), e tenho que deixar de fazer provas à noite até arranjar um que esteja à altura.

Falando em “estar à altura”, a Canon 450D mostrou ser mais “robusta” e “resistente às condições climatéricas” do que muitos afirmam. A dada altura verifiquei que tinha a maquina toda “molhada” e nem sequer chovia… possivelmente condensação causada pelo frio. Aqui convém realçar que, após a prova, tive em 1º lugar, o cuidado de passa um pano pela maquina/lente, e de viajar com ela, fora da mala, e com o ar do carro no frio. Já me casa, nova limpeza, com grip fora, e ficou a arejar num local sem humidade. Tudo isto para evitar que houvesse condensação no sensor, tal como, evitar acumulação de humidade nos componentes. Ou seja, até podemos abusar das temperaturas a que sujeitamos o equipamento, mas devemos evitar alterações de temperaturas extremas ( exemplo : tirar do frio e colocar dentro do carro com o ar quente ligado ).

O meu 3º Dia começou em frente ao mal fadado Estado Municipal de Leiria, onde a NDML improvisou o circuito para a ultima e derradeira prova do Rally. Como já tinha um colega para ajudar no evento, e o circuito tinha espaço suficiente, resolvi utilizar a sigma 120-400, inicialmente com monope, e mais tarde handheld e OS em modo 2, porque ou por falta de jeito, ou por falta de experiência, não estava a atinar com o monope. Pelo registos que fiz, gostei dos resultados finais, e resumo os handicaps da mesma para este tipo de fotografia aos seguintes:

– Tamanho e Peso

– 120mm do lado wide ( em APS-C )

Porque senão era uma boa lente para utilizar até um dia adquirir uma 70-200.

Em jeito de resumo, com 70 e tal participantes, o balanço foi positivo, tanto no que respeita à prova em sim, como no trabalho de reportagem para a ABTFOTO. Foi cansativo, mas valeu a pena, em todos os sentidos.

No mesmo dia, ainda registei uma prova, não integrada no Rally, mas organizada pela NDML: Slalom Circuito Cidade de Leiria, que ficará para um próximo artigo.

Algumas fotos do evento.

Rally Verde Pino 2012Rally Verde Pino 2012Rally Verde Pino 2012

Rally Verde Pino 2012

 

Fotos disponíveis para os intervenientes AQUI

Paulo M . F. Pires

Rally de Inverno 2012–Rampa F. dos Vinhos

Em virtude da 1ª colaboração com a ABTFOTO, fui registar as duas passagens, na rampa de Figueiró dos Vinhos.

Em relação à prova, houve animação que chegasse, fosse pelo número de participantes (+100), fosse pelo parque automóvel. Não eram só "charutos" ( entre os Porsches e um M3 recentes, e um estava.. um Aston Martin! Até chorei… ), e quase todos os participantes estavam animados na subida.

A animação subiu de nível, durante a noite, quando um dos Subaru ( Team Sobarulho ) se despistou, e literalmente caiu no meio das árvores. Ainda estávamos a indagar o que poderia ter acontecido, quando um Honda s2000 mostrou a pior forma de se entrar naquela curva. Bateu meio metro à minha frente antes de dar uma série de "piruetas", e acabar capotado sobre o rail de proteção. Ninguém se aleijou, mas para o nacional de rampa, já sei onde vou ficar e aonde não vou ficar.

Após remoção do Honda, e limpeza da via, a prova prosseguiu.

As fotos irão estar disponíveis para venda ( em conjunto com outras de diversos colaboradores presentes ) no link abaixo:

http://www.abtfoto.com/new/index.php?pagina=detalhes&id=10877

Rally Inverno 2012 - Rampa FV

All You Can Stock–Nova Agência

Criada este verão, a partir do zero, poderia ser “apenas mais outra agência”, mas mesmo numa fase tão precoce, tem características muito interessantes:

– 75% de comissões: Uma das mais altas no ramo. Será

– Comissões pagas após o download. por paypal. Aqui esta uma “inovação” muito interessante. A maioria das agências define um “limite mínimo” para pagamento, e nas pequenas agências é muito comum passarem-se meses e por meia dúzia de tostões, não podermos ter acesso ao valor já em conta.

– Tamanho único e definição “livre” de preços. Tamanho único acaba por ser limitativo para o cliente, essa é a minha opinião pessoal. De qualquer forma, pelo valor que se paga hoje em dia por um tamanho XL ou Full size, o cliente, mesmo que precise um um tamanho web, fica com um tamanho para outras aplicações ( Dentro das regras “RF Standard Comercial” ). Definição de preços ( lembra-me a já inexistente ClusteShot )  onde podemos definir o preço para a imagem no tamanho original. Claro que o preço deve ter em conta os demais preços praticados pelas  agências de topo, e esta possibilidade  fomenta a “competição” e a gestão do portfolio por preços ( exemplo, imagens menos vendidas podem ser colocadas a preços inferiores ao habitual de forma a ser vendidas )

– Transferência, por FTP, sem limite de ficheiros/dia. Por agora, e com pouco mais de 17.000 imagens, penso que não vão limitar tão cedo o numero de ficheiros a enviar, tal como o processo de revisão é bastante rápido.

Em jeito de conclusão, agora o sucesso desta agência, depende muito do trafego que venha a ter, e com a aplicação de funcionalidades “básicas” já existentes em outras agências.

Paulo M. F. Pires