500 Imagens na ShutterStock

508 para ser mais preciso!

Não foi fácil, dado o número de fotógrafos existentes ( e a qualidade das imagens dos mesmos ), e as atuais 18 milhões de imagens existentes no banco de imagens da ShutterStock. Tendo só conseguido passar o teste à 2ª tentativa, sou colaborador desde de 12-11-2010, e grande parte de 2011 trabalhei quase exclusivamente para explorar que “nichos” de mercado poderia explorar, sem ser as típicas imagens de “Negócios” ou “Vida e Lazer”, áreas essas que acredito que começam a ficar saturadas, e só quem construiu um bom portfólio destes temas há uns anos atrás, se pode dar ao luxo de continuar a trabalhar na mesma temática.

Uma das áreas que tenho tido alguma “evolução” positiva, tem sido nas Imagens Editoriais. Como determinados conteúdos não estão disponíveis em todos os lugares e a qualquer um, pode ser um nicho a explorar nos próximos anos. Atualmente, 10% dos meus “portfólios” no microstock são Editoriais, e com o aproximar do verão ( e a colaboração com a ABTFOTO ), espero aumentar esta percentagem até aos 20~25% até ao fim de 2012.

Imagens Editoriais na ShutterStock

Mas o trabalho não acabou por aqui. Tendo em conta as vendas de 2011, e todas as outras estatísticas decorrentes deste trabalho,  que inclui o tipo de imagens que tenho para venda,  significa que tenho fazer os possíveis para duplicar este número até ao fim de 2012, para manter pelo menos a média mensal ascendente das vendas. Para isso estou a programar trabalhar em novos conceitos, e terei que aumentar bastante o número de uploads mensais, mantendo a qualidade das imagens, de forma a aumentar a percentagem de aceitação.

Galeria na ShutterStock:

http://www.shutterstock.com/cat.mhtml?gallery_id=673342

Paulo M. F. Pires

Anúncios

All You Can Stock–Nova Agência

Criada este verão, a partir do zero, poderia ser “apenas mais outra agência”, mas mesmo numa fase tão precoce, tem características muito interessantes:

– 75% de comissões: Uma das mais altas no ramo. Será

– Comissões pagas após o download. por paypal. Aqui esta uma “inovação” muito interessante. A maioria das agências define um “limite mínimo” para pagamento, e nas pequenas agências é muito comum passarem-se meses e por meia dúzia de tostões, não podermos ter acesso ao valor já em conta.

– Tamanho único e definição “livre” de preços. Tamanho único acaba por ser limitativo para o cliente, essa é a minha opinião pessoal. De qualquer forma, pelo valor que se paga hoje em dia por um tamanho XL ou Full size, o cliente, mesmo que precise um um tamanho web, fica com um tamanho para outras aplicações ( Dentro das regras “RF Standard Comercial” ). Definição de preços ( lembra-me a já inexistente ClusteShot )  onde podemos definir o preço para a imagem no tamanho original. Claro que o preço deve ter em conta os demais preços praticados pelas  agências de topo, e esta possibilidade  fomenta a “competição” e a gestão do portfolio por preços ( exemplo, imagens menos vendidas podem ser colocadas a preços inferiores ao habitual de forma a ser vendidas )

– Transferência, por FTP, sem limite de ficheiros/dia. Por agora, e com pouco mais de 17.000 imagens, penso que não vão limitar tão cedo o numero de ficheiros a enviar, tal como o processo de revisão é bastante rápido.

Em jeito de conclusão, agora o sucesso desta agência, depende muito do trafego que venha a ter, e com a aplicação de funcionalidades “básicas” já existentes em outras agências.

Paulo M. F. Pires

Micro Stock– Um ano depois…

2384814_s

Passou um ano desde que eu decidi vender algumas das minhas fotografias nas Agências de Micro Stock (Micro Stock Agencies), em regime de “royalty-free”.

Sabendo à partida que o tipo de fotografia que pratico não é o mais procurado nesta área, decidi apostar em fotografias de natureza e alguns trabalhos Editoriais.

Durante os últimos 3 meses de 2010, basicamente trabalhei para perceber o funcionamento das agências, mercado e procedimentos que envolvem estes tipo de negócio. Não considero tempo perdido, mas uma análise mais correta será no fim de 2012.

Assim, olhando ao nº de downloads, vendas e RPD ( Retorno por Download ) aqui fica o meu top 5:

1º – ShutterStock – Vendas e Pagamentos Regulares, RPD regular, e boas perspectivas para o ano seguinte.

2º – IStockPhoto – Mesmo com toda a polémica em torno dos colaboradores e clientes, tal como com alguns erros que persistem no site, mesmo com poucos downloads foi onde obtive um maior RPD. É um facto que tem descido, mas acabará como o mais alto em 2011. A nível de perspectivas para 2012, são muito más, pois a tendência tem sido a diminuição das vendas na agências, e nem o aumento da vendas em parcerias parece manter os números de alguns meses atrás..

3º – 123RF – Começo muito fraco, com poucos rendimentos, mas todos os meses atinge um RPD maior tal como um maior nº de downloads, com uma EL ( Licença Alargada) vendida. A perspectiva para esta agência é grande em 2012.

4º – Fotolia – Um das primeiras agências com que comecei a trabalhar. Poucas vendas e a recente queda nas % das comissões levou a ser a agência com um RPD muito baixo.

5º – Dreamstime – Como a agência anterior, tem estado por baixo, apesar de ter um melhor RPD. Mantenho-a no Top 5 apenas porque é uma agência que tem aceitei algumas imagens com potencial futuro que por norma são recusadas pelas demais agências.

Sobre as outras agências, são muito recentes, com menos clientes do que as mencionadas acima, o que significa que têm necessidades e clientes diferentes, e para obter o mesmo rendimento que em uma agência de top será necessário ter um portfólio maior/diferente.

De qualquer forma a Panthermedia está a ser uma surpresa agradável com umas vendas promissoras.

Mais em breve!

Paulo M. F. Pires