Rally Verde Pino 2012

Era com alguma “ansiedade” que eu esperava por esta prova, pois a mesma iria testar os meus limites ( e talvez os da máquina ) por se tratar de uma prova de 3 dias completos. No final apenas o carro cedeu ( travões )… nada que uns discos/pastilhas novos não resolvessem, e não, não participei na prova. Prova organizada pelo NDML, onde realço a excelente colaboração no acesso aos locais.

Rally Verde Pino 2012Como colaborador da ABTFOTO, fiquei de cobrir no 1º Dia, a prova no kartódromo dos milagres, e de seguida registar a Rampa de Figueiró dos Vinhos. O pior do 1º dia, e apenas no 3º dia melhorou foi mesmo o tempo, pois choveu imenso, com algum vento, e frio à mistura. No kartódromo fiquei na curva que antecede a entrada das boxes, e não fosse a chuva e seria um spot muito interessante para a 24-105L ( a chuva não permitiu muita velocidade durante a prova e só os mais arrojados arriscavam um andamento acima da média ). Nem mesmo quando um dos participantes quase veio ter comigo, fez com que eu mudasse de ideias quanto ao spot escolhido. De qualquer forma, permitiu umas boas fotos, com o carro a encher o frame, que ficaram tanto do meu agrado como da maior parte dos "pilotos”.

Finda a prova no kartódromo, pouco mais fiz que comer “qualquer coisa” pelo caminho, e arrancar para Figueiró dos Vinhos, para chegar antes do 1º participante ( teriam que fazer ainda duas rampas, Porto de Mós e Fátima ). Já na Rampa, fiquei indeciso sobre a utilização  da sigma 120-400 no mesmo spot onde registei o rally de inverno, mas como a lente não é WS, e tudo fazia crer que ia chover, subi um pouco a rampa e fiquei num spot “parecido”, e apenas não contei com um detalhe: era uma saída de uma curva Rally Verde Pino 2012rápida, o que me fez perder alguns registos por não ter a velocidade adequada na maquina ( ou não poderia selecionar mais ). Assim optei por mudar de spot, e registar de frente , já depois da saída dessa curva, de forma a apanhar os carros mais devagar, e registar algumas traseiras ( um tipo de composição que me agrada mais, mas não tem muitos adeptos ).

O 1º Dia terminou com a seleção das melhores fotos por piloto e o envio para a agência. É nestas alturas que dou valor a quem faz reportagens e tem que entregar o trabalho na hora.

No 2º Dia fiquei de registar  uma das provas surpresa, Rampa de Monte Alto – Arganil, e a surpresa começou por um engano nos horários, e lá aproveitei para recuperar umas horas de sono…

Escolhi a ultima curva antes da recta da meta, que permitiu fazer uns registos mais alusivos à paisagem, mas sem granes margens de manobra, pois era um spot escuro, e chovia a potes. Também foi um daqueles raros momentos em que mudei de ideias quanto ao meu posicionamento, e fiquei 2 metros ao lado do ponto inicial, e verificar que o carro nº 4 “aterrou lá”.. Pelo que me apercebi, todos os Porsche 911 Turbo, clássicos perdiam o controle da mesma forma naquela curva.

No fim, foi correr para Pombal, escolher as melhores, e correr para a prova no Kartódromo dos Milagres às 22:00. Efetivamente já não chovia, mas a relva tinha geada, tal como os tejadilhos do carros. Mais uma vez fiquei limitado pelo flash ( sem HSS ), e tenho que deixar de fazer provas à noite até arranjar um que esteja à altura.

Falando em “estar à altura”, a Canon 450D mostrou ser mais “robusta” e “resistente às condições climatéricas” do que muitos afirmam. A dada altura verifiquei que tinha a maquina toda “molhada” e nem sequer chovia… possivelmente condensação causada pelo frio. Aqui convém realçar que, após a prova, tive em 1º lugar, o cuidado de passa um pano pela maquina/lente, e de viajar com ela, fora da mala, e com o ar do carro no frio. Já me casa, nova limpeza, com grip fora, e ficou a arejar num local sem humidade. Tudo isto para evitar que houvesse condensação no sensor, tal como, evitar acumulação de humidade nos componentes. Ou seja, até podemos abusar das temperaturas a que sujeitamos o equipamento, mas devemos evitar alterações de temperaturas extremas ( exemplo : tirar do frio e colocar dentro do carro com o ar quente ligado ).

O meu 3º Dia começou em frente ao mal fadado Estado Municipal de Leiria, onde a NDML improvisou o circuito para a ultima e derradeira prova do Rally. Como já tinha um colega para ajudar no evento, e o circuito tinha espaço suficiente, resolvi utilizar a sigma 120-400, inicialmente com monope, e mais tarde handheld e OS em modo 2, porque ou por falta de jeito, ou por falta de experiência, não estava a atinar com o monope. Pelo registos que fiz, gostei dos resultados finais, e resumo os handicaps da mesma para este tipo de fotografia aos seguintes:

– Tamanho e Peso

– 120mm do lado wide ( em APS-C )

Porque senão era uma boa lente para utilizar até um dia adquirir uma 70-200.

Em jeito de resumo, com 70 e tal participantes, o balanço foi positivo, tanto no que respeita à prova em sim, como no trabalho de reportagem para a ABTFOTO. Foi cansativo, mas valeu a pena, em todos os sentidos.

No mesmo dia, ainda registei uma prova, não integrada no Rally, mas organizada pela NDML: Slalom Circuito Cidade de Leiria, que ficará para um próximo artigo.

Algumas fotos do evento.

Rally Verde Pino 2012Rally Verde Pino 2012Rally Verde Pino 2012

Rally Verde Pino 2012

 

Fotos disponíveis para os intervenientes AQUI

Paulo M . F. Pires

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s